11° GAVnt - Ursae Minoris - UM i

11° GAVnt - Ursae Minoris - UM i

Grupo de Aviação de Veículos não Tripulados


    BRIEFING E DEBRIEFING

    Compartilhe
    avatar
    Cnshark
    Admin

    Mensagens : 1292
    Data de inscrição : 25/01/2011
    Idade : 43
    Localização : Tubarão

    BRIEFING E DEBRIEFING

    Mensagem  Cnshark em Ter Maio 06 2014, 05:22

    BRIEFING E DEBRIEFING

    Mesma instruções para Free Falcon 5

    Antes de iniciar cada missão de vôo, o instrutor deverá, obrigatoriamente, fazer um briefing (preleção), momento em que explanará, detalhadamente, como transcorrerá a referida missão, desde o apronto inicial até o encerramento completo do vôo. Colocando em ordem cronológica as diversas fases da missão, o instrutor explicará minuciosamente as técnicas corretas de execução de cada exercício e os erros mais comuns ou suscetíveis de serem cometidos pelo piloto-aluno.


    Durante os voos de cheque de INVA (Instrutor de Vôo de Avião) existe uma tendência dos avaliados comentarem em briefing apenas o que se vai fazer durante o voo (lá em cima). Acontece que neste tipo de cheque é previsto que o avaliado comente TODAS as fazes do vôo. Assim, comece seu briefing desde a preparação do vôo, passando pela preparação do vôo, preenchimento do plano/notificação, inspeção externa, interna. Nestes comentários observe apenas coisas relevantes e bem gerais. Daí si parta para o que vai acontecer em vôo e não deixe de comentar os procedimentos de emergência, principalmente o que se deve fazer em caso de emergência real.


    É extremamente importante, todavia, que, antes de descrever a execução completa do exercício, o instrutor, primeiramente, solicite ao piloto-aluno que decline a padronização prevista no manual sobre cada exercício básico da missão.


    O briefing é também o momento ideal para que o piloto-aluno tire todas as suas dúvidas. Nele deverá ser retratado tudo o que ocorreu durante a realização da missão, desde a sua preparação até a parada final do motor.


    Ainda dentro da seqüência lógica do vôo, a preparação deverá incluir os procedimentos de comunicação com os órgãos de controle de tráfego aéreo, tanto por meio de sinalização visual, quanto por comunicações radiotelefônicas, conforme o caso.


    O piloto-aluno deverá ser capaz de identificar o significado da sinalização luminosa que vier a receber em terra e no ar e saber as freqüências que deverão ser utilizadas nas transmissões radiotelefônicas, assim como treinar o uso da fraseologia padronizada nas comunicações entre a aeronave e órgãos de controle de tráfego aéreo. Por fim, o piloto-aluno deverá ser orientado sobre os procedimentos que deverão ser totalmente memorizados para sua correta execução no devido tempo.


    Após o encerramento do vôo, o instrutor deverá proceder aos comentários de pósvôo (ou debriefing), nos quais ele fará um retrospecto de toda a instrução realizada, seguindo, praticamente, o mesmo caminho do briefing, mas indicando, agora, os erros e os acertos.


    O debriefing será encerrado com o aluno recebendo o conceito relativo à avaliação do seu desempenho, bem como as recomendações a serem seguidas para evitar a repetição dos erros cometidos e/ou se prevenir contra erros futuros.

    **Correto seria guardar em uma pasta após cada Vôo no simulador do Debriefing de seu Logbook


    Fichas reais de Pilotos para monomotor para avaliação podem ser baixadas e conhecidas em:
    http://www2.anac.gov.br/habilitacao/fap.asp

    Fonte: ANAC/UR-4, Anac.


      Data/hora atual: Dom Out 22 2017, 12:18