11° GAVnt - Ursae Minoris - UM i

11° GAVnt - Ursae Minoris - UM i

Grupo de Aviação de Veículos não Tripulados


    Lockheed Martin F-35 Lightning II

    Compartilhe
    avatar
    Cnshark
    Admin

    Mensagens : 1292
    Data de inscrição : 25/01/2011
    Idade : 43
    Localização : Tubarão

    Lockheed Martin F-35 Lightning II

    Mensagem  Cnshark em Ter Nov 29 2011, 17:31



    O programa JSF é uma consequência da desaceleração da procura de aviões tácticos no pós-"Guerra Fria", aumentando o número de aviões inespecíficos, ou seja, multifuncionais.

    Nesta perspectiva e com o objectivo de substituir diversos modelos de aviões tácticos da Marinha e da Força aérea, por um que fosse capaz de sobreviver no campo de batalha do século 21. Os programas de desenvolvimento de novos caças, em andamento na US Navy - Marinha e na USAF-Força Aérea dos E.U.A. uniram-se em um único programa que foi denominado JSF - caça de ataque conjunto (Joint Stryke Fighter).

    O F-35 A Lightning II ou F-35 Joint Strike Fighter é um programa que visa a produção de três aeronaves stealth multi-role fighters supersônicas, que fora desenvolvido para satisfazer as necessidades de uma transformação na nova geração de armamento dos governos dos Estados Unidos da América, do Reino Unido, da Holanda, Austrália, Canadá, Itália, Dinamarca, Noruega, Turquia e de outros compradores, como Israel.
    O F-35 foi concebido como projeto de três caças de 5ª geração, CTOL F-35A JSF, STOVL F-35B JSF, CV F-35C JSF, de relativo baixo custo, para a Marinha e Força aérea dos Estados Unidos da América, para englobar três aeronaves em um mesmo projeto atenuou os elevados custos de desenvolvimento comparado aos três separados e distintos projetos.
    As principais armas são transportadas em compartimentos internos, com maior de descrição. Mas armas adicionais podem ser transportadas externamente em missões de furtividade.



    Participação Internacional

    Os Estados Unidos, Reino unido, Itália, Holanda, Canada, Turquia, Austrália, Noruega e Dinamarca são as nove nações que formam a parceria para o desenvolvimento e construção do F-35. Adicionalmente Israel e Singapura foram admitidos no (SDD) esforço de Desenvolvimento e Demonstração, com o estatuto de (SCP) Participante de Segurança Cooperativa. Existem três níveis de participação internacional, que refletem na generalidade, o nível de empenhamento financeiro no programa, a quantidade e qualidade da transferência tecnológica, que companhias nacionais podem ser convidadas a participar no projeto e finalmente quais os países que podem obter a construção de aeronaves.



    F-35A CTOL - Descolagem e aterragem convencional

    Este caça de 5ª geração de operação convencional, furtivo, supersónico e habilitado para uma variedade de missões, possui uma capacidade extraordinária de aceleração e execução de manobras certificada até 9 G. O enorme poder de processamento instalado aliado a sensores eficazes, tornam o F-35 um potente colector e transmissor de dados numa vasta rede de informações. É assim uma excelente e indispensável ferramenta na defesa da soberania.

    F-35B STOVL - Descolagem curta e aterragem vertical

    Cada vez mais se colocam novos desafios de segurança, que exigem uma ampla distribuição de forças, capacitadas para intervir numa variedade alargada de cenários. A capacidade STOVL habilita o F-35B para operar numa multiplicidade de locais, como navios, estradas e bases aéreas rústicas. A operação STVOL tornou-se possível devido à utilização do sistema de propulsão patenteado "shaft-driven LiftFan", que em termos simplificados é a vectorização do fluxo de impulso através de eixos e ventoinhas, para partes distintas da aeronave. Esta abordagem supera muitos dos desafios de temperatura, velocidade e potência, colocados aquando da utilização de sistemas de elevação direta. Os principais utilizadores são a Força Aérea e Marinha Norte Americana, Marinha do Reino Unido e a Marinha Italiana.

    F-35C CV - versão para uso em Porta-Aviões

    É o primeiro avião furtivo e optimizado para uso naval ao serviço da Marinha Americana. Asas e superfícies de controle maiores e a adição de ailerons na ponta das asas, proporcionam ao piloto do F-35C uma maior estabilidade e precisão na fase final de aproximação ao porta-aviões. O F-35C possui ainda, uma estrutura interna e trem de aterragem reforçados, compatíveis com as forças exercidas durante os lançamentos por catapulta e aterragem usando cabos de retenção.


    F-35AF-35BF-35C
    CTOL-Descolagem e Aterragem ConvencionalSTOVL-Descolagem Curta e Aterragem VerticalCV-Versão para Porta-Aviões
    Primeiro Vôo X-35 Outubro de 2000X-35B junho de 2011 X-35C Dezembro de 2000
    tripulação01 Piloto01 Piloto01 Piloto
    Comprimento15,4 m15,4 m15,5 m
    Largura10,7 m10,7 m13,1 m /9,1 m c/ asas dobradas
    Altura 4,6 m4,6 m4,7 m
    Área asas42,7 m242,7 m257,6 m2
    Peso vazio9,980 kg10,660 kg 10,885 kg
    Máximo à descolagem22,680 kg 22,680 kg22,680 kg
    Combustível interno8,390 kg6,045 kg 8,900 kg
    Carga máxima5,895 kg 4,990 kg7,710 kg
    Carga máxima vs. avião substituído 1.4 X 2.0 X 1.3 X
    Avião SubstituídoF-16 AV-8B Harrier IIF/A-18
    Velocidade máx. em altitudeMach 1.5 / Mach 1.8+Mach 1.5 / Mach 1.8+ Mach 1.5 / Mach 1.8+
    Alcance 2,000 km3,000 km
    Alcance só Combustível Interno 2,220 Km1,660 Km2,600 Km
    Raio de Combate 1,090 km833 km1,111 km
    Alcance vs. avião Substituído 2.5 X 1.8 X 2.0 X
    Limite carga G 9.0 G 7.0 G 7.5 G
    Missões / Dia 3 breves/2 sustentadas4 breves/3 sustentadas3 breves/2 sustentadas
    Canhão one 25-mm GAU-12one 25-mm GAU-12 externoone 25-mm GAU-12 externo
    Quantidade Munições 180 tiros220 tiros220 tiros

    Projeto para subistituição

    O F-35 é especifico e especialmente projetado para dar resposta à substituição dos modelos:

    • A-10 Thunderbolt II e F-16 Fighting Falcon da Força Aérea dos Estados Unidos USAF;

    • F/A-18 Hornet da Marinha dos Estados Unidos, NAVY;

    • AV-8B Harrier II e F/A-18 Hornet do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos;

    • AV-8B Harrier II- Harrier/Sea Harrier GR.5/7/9 da Força Aérea e Marinha do Reino Unido.








    Armamento
    Canhão Fixo: 1x General Dynamics GAU-22/A Equalizer·25 mm (0.984 in*) de cano de canhão
    montados internamente com 180 voltas.
    Pontos fixos: 6x pontos nas asas para capacidade de 15.000 lb (6.800 kg) e 2x baias
    internas com 2 pontos de fixação para carregar um total de armas de 18.000 lb (8.100
    kg) e possibilidades de provisões para combinações de:

    Mísseis Air-to-air: (Ar-para-Ar)
    AIM-120 AMRAAM,
    AIM-132 ASRAAM,
    AIM-9X Sidewinder,
    IRIS-T, Joint Dual Role Air Dominance Missile (JDRADM)
    (tecnologia disponível somente após 2020)

    Mísseis, Bombas para Air-to-ground: (Ar-para-Terra)
    AGM-154 JSOW,
    AGM-158 JASSM
    Bombs: (bombas)
    Mark 84,
    Mark 83 and
    Mark 82 GP bombas
    Mk.20 Rockeye II Bomba agrupada
    Capacidade de despensar munição corrigindo a trajetória com vento
    Paveway-series Bomba guiada a Laser
    Small Diameter Bomba (SDB) - Bomba de pequeno diametro
    JDAM-séries
    B61 - bomba nuclear

    Avionics
    Northrop Grumman Electronic Systems
    AN/APG-81
    AESA radar
    * in = Polegadas


      Data/hora atual: Sab Out 21 2017, 07:33